.
Vinum Brasilis – por Marcus Oliveira

Nos dias 16 e 17 de agosto, ocorreu a 11º edição da Vinum Brasilis, a maior feira especializada em vinhos brasileiros do país. O evento foi realizado no estacionamento externo do Shopping Iguatemi Brasília e foi organizado pela dupla Petrus Elesbão (idealizador da Vinum Brasilis) e Guto Jabour (da GB Vinhos).  Cerca de duas mil pessoas estiveram por lá e puderam apreciar mais de 250 rótulos de 30 vinícolas participantes. Havia vinhos tintos, brancos, rosés e espumantes, e produtos brasileiros, como queijos, embutidos, sucos, cachaças e cafés.

Vinum Brasilis – por Marcus Oliveira

Essas são algumas das vinícolas participantes: Perini; Dom Guerino; Cave Geisse; Hermann; Quinta da Neve; Gran Legado; Dom Giovanni; Rio Sol; Pericó; Bueno Wines; Aurora; Cantina Tonet; Vinhos do Cerrado; Salton; Valmarino; Lídio Carraro; Zanella; Maximo Boschi; Dom Cândido; Campos de Cima; Batalha Vinhas & Vinhos; Pizzato; Casa Petruci; Don Bonifácio; Torcello; Giaretta; Pedrucci e Mazzarotto.

Uma notícia boa é que a edição 2019 já foi confirmada pelos organizadores. 🙂

Novidade

Uma novidade super legal deste ano foi o espaço dedicado às palestras sobre o mundo do vinho, que foram ministradas pelo professor Thiago Mendes da Enocultura, ganhadora do Prêmio Educador do Ano pela WSET Global. Consegui assistir a palestra Brasil de Norte a Sul, que tratou das principais regiões vitivinícolas brasileiras, suas principais características climáticas e geológicas, castas e métodos de produção e os diferentes vinhos que produzem. Adorei conhecer toda diversidade que o vinho brasileiro possui e que ainda é tão desconhecida pela maioria dos apreciadores dessa bebida.

Vinhos destacados

E falando sobre os vinhos brasileiros, esses foram os que mais me chamaram atenção. Começando pelos espumantes:

Cave Geisse Terroir Nature

Cave Geisse Terroir Nature

Gostei muito desse espumante! Muito elegante! Apresentou ótima intensidade e complexidade aromática com notas de castanhas, frutas de caroço e tostado no final. Perlage fino e persistente. Possui alta acidez, excelente estrutura e poderia ser um bom acompanhamento para um prato com frutos do mar ou até com um molho mais gorduroso, por exemplo. Achei muito gastronômico. O final é bem persistente. Elaborado pelo método tradicional, amadurece durante 48 meses, e é composto por Chardonnay (50%) e Pinot Noir (50%). Preço médio: R$ 190

Cave Geisse Blanc de Blanc Brut

 

Cave Geisse Blac de Blanc Brut

Outro espumante da Cave Geisse, mas com um perfil diferente do primeiro. Excelente também, no entanto, mais leve que o Terroir Nature. O perlage é bem abundante. Ótima acidez, final longo, muito cremoso e fresco. Apresentou aromas de frutas cítricas e panificação. Final longo! Elaborado com Chardonnay, pelo método tradicional, permanecendo em contato com as leveduras por 30 meses. Preço médio: R$ 125

O próximo espumante que gostei muito foi o Lírica, da Vinícola Hermann.

Lírica Brut

Muito delicado! Apresentou aromas de maçã, pera e um leve tostado. É um espumante leve e muito fresco, com boa acidez e final médio para longo. Elaborado pelo método tradicional, com as castas Chardonnay (75%) e Gouveio (25%). Amadurece durante 9 meses em contato com as lias. Preço médio: R$ 77,00

Dos espumantes elaborados pelo método charmat, gostei muito Lumen Brut Rosé da Don Guerino.

Don Guerino Lumen Brut Rosé

Elaborado pelo método charmat longo. Bem fresco, com aromas intensos de frutas vermelhas e ótima cremosidade. A acidez é média mais e o final é médio. Tem em sua composição as castas Malbec (90%) e Pinot Noir (10%). Preço médio: R$117

Agora os brancos. Para quem gosta de um branco fresquinho, recomento o Sinais Sauvignon Blanc 2017, também da Don Guerino.

Sauvignon Blanc Sinais Don Guerino

Uma delícia! Super fresco, acidez alta! Boa intensidade aromática, apresentando toques herbáceos e maracujá. O corpo é bem leve e tem uma boa persistência. Tem um ótimo custo benefício. Preço médio: R$48,00

Aurora Chardonnay 2017, da região de Pinto Bandeira. Só uma informação interessante: Pinto Bandeira fica a 730 metros acima do nível do mar e é a segunda região demarcada a conquistar Indicação de Procedência (IP) no Brasil.

Aurora Chardonnay

Excelente trabalho feito com a Chardonnay! Fresco, agradável, acidez média alta. Apresentou notas cítricas e maçã. Corpo médio menos. Final médio! Não tem características de excesso de barrica! Passou somente por 3 meses em carvalho. Vinho delicado e elegante! Bom custo benefício! Preço médio: R$ 53,00

Se você gosta de um Chardonnay mais encorpado, recomendo o Maximo Boschi Biografia Chardonnay 2009.

Maximo Boschi Chardonnay

O vinho apresentou aromas de frutas tropicais bem maduras e aromas secundários como baunilha e láticos. A acidez e o corpo são médios. É um vinho mais untuoso em boca. Possui uma persistência média. As uvas são provenientes da Campanha Gaúcha. O vinho estagiou por 6 meses em barrica de carvalho francês, no entanto, a madeira não chega a sobressair muito. Preço médio: R$ 120,00.

E agora os vinhos tintos. Dois me chamaram a atenção por motivos completamente diferentes. O primeiro é o Traços 2015 da Don Guerino.

Traços Don Guerino

Um vinho com boa estrutura, com boa acidez e taninos marcantes. No nariz apresentou frutas negras e especiarias. O final é médio. Elaborado com um corte inusitado de uvas francesas e italianas que inclui Merlot, Teroldego, Tannat, Cabernet Sauvignon e Ancellotta. O Tannat e o Teroldego estagiam por 12 meses em barrica de carvalho francês e americano. Preço médio: R$ 140,00

O próximo vinho tinto é bem diferentão. Parece que ele acabou de sair dos tanques. É o Cristofoli Merlot 2018.

Merlot Cristofoli

Bem leve, fácil de beber, com muita fruta vermelha! O corpo é baixo mas apresenta boa acidez. Os taninos são beeeem macios! Uma proposta bem diferente mas que deve agradar muitos paladares, principalmente aqueles que buscam vinhos mais descomplicados e despretensiosos. E tem um bom custo! Preço médio: R$ 45,00

Bianca Dumas e Guto Jabour,um dos organizadores da Vinum Brasilis

É isso! Ainda tem muito vinho brasileiro para conhecer! Imagino que devam ter outros vinhos muito bons também, mas pelo tamanho da feira e pela variedade dos rótulos é quase impossível degustar tudo! Quem sabe ano que vem eu volto para conhecer um pouquinho mais! Vale a pena!

 

Texto: Bianca Dumas, do instagram @vinhobonzao

Comentários

comentários

Close