.
indio
Índio Rei Dão DOP 2014 é o vinho oficial do Museu de Arte Indígena (MAI). Foto: Blog Tribuna do Norte.

Inspirado em uma pintura de Grão Vasco, o segundo vinho da empresa Amora Brava, o Índio Rei Dão DOP 2014 agora é o vinho oficial das novas instalações do Museu de Arte Indígena (MAI) no Brasil. Feito com uvas das castas Touriga Nacional, Alfrocheiro, Tinta Pinheira e Aragonês, o Índio Rei será o único vinho à venda no local.

Para o enólogo Carlos Silva, co-criador da Amora Brava, foi um desafio fazer um vinho do Dão com uma personalidade própria para expressar a natureza autóctone, com grande recorte, firmes taninos e corpo aveludado, com notas de cereja, cacau, madeira exótica, incenso e fumo ligeiro. Segundo a engenheira agrícola Susana Abreu, também co-criadora da empresa Amora Brava, a ideia do museu ter um vinho português é justamente para fazer a ligação do Brasil com o país europeu.

Para Juliana Podolan Martins, diretora e proprietária do Museu de Arte Indígena no Brasil, uma inovação em termos de conceito, mas também uma forma de levar para o Brasil um vinho que conta a história da obra de um pintor português, que ela desconhecia. “A parceria é extremamente importante e tão inusitada quanto o MAI ou uma marca de vinho com um nome indígena”, afirmou a diretora.

 

adoracao_dos_reis_magos_-_francisco_henriques_-_museu_grao_vasco
O Índio Rei Dão DOP 2014 foi inspirado no painel “Adoração dos reis magos”, do pintor Grão Vasco. Foto: Matriz Net.

O painel 

O painel que inspirou o vinho Índio Rei é a representação tradicional do tema da Adoração dos Reis Magos, com a presença de um índio brasileiro na figura do rei mago negro, Baltazar. É a primeira representação do índio na arte ocidental. Situado no centro da composição, Baltazar ostenta um traje onde há a mistura de influências europeias tradicionais – a camisa e os calções – e a novidade exótica de um toucado de penas, bem como inúmeros colares de contas coloridas, grossas manilhas de ouro nos pulsos e tornozelos, brincos de coral branco, remate de penas idênticas às do toucado, no decote e na franja do corpete, e uma flecha tupinambá com o seu longo cabo. Nas mãos, uma taça feita de nós de coco montada em prata reforça ainda o seu carácter exótico.

Museu de Arte Indígena no Brasil

O Museu de Arte Indígena (MAI) no Brasil é o primeiro museu particular do Brasil dedicado exclusivamente à produção artística dos indígenas brasileiros. Com um dos maiores acervos do mundo nesta área, o museu conta com cerca de 700 peças divididas entre arte plumária, cerâmica, cestas, instrumentos musicais, máscaras ritualísticas e objetos utilitários.  

O MAI nasceu em Clevelândia (PR), em 2009, com o objetivo de resgatar e preservar a cultura indígena brasileira, e a missão de apresentar ao público um universo cultural a partir de objetos e peças que materializam a mitologia e os rituais dos indígenas brasileiros.

Amora Brava

A Amora Brava é uma empresa portuguesa que produz e comercializa vinhos, criada pela engenheira agrícola Susana Abreu e o enólogo Carlos Silva. O primeiro vinho da empresa Amora Brava foi o Psique Dão DOP 2014, que representa a paixão do casal pela viticultura e a enologia.

481173_900386893413754_8627156480534762629_n
Psique Dão DOP 2014, o primeiro vinho da empresa portuguesa Amora Brava. Foto: Amora Brava Unipessoal Lda/Facebook.

 Fonte: Lusa, Site do MAI, Matriz Net e página na rede social da Amora Brava.

Comentários

comentários

Close