.
Eu na entrada da Vinícola Miolo, localizada no Vale dos Vinhedos-RS
Eu na entrada da Vinícola Miolo, localizada no Vale dos Vinhedos-RS

Vale dos Vinhedos é parada obrigatória para quem visita o Rio Grande do Sul. O local, que reúne hoje 23 vinícolas associadas, representa um legado histórico, cultural e gastronômico deixado por imigrantes italianos que chegaram por ali em 1875. Estive lá recentemente para participar como jurada do Brazil Wine Challenge 2018 (relembre aqui) e aproveitei a oportunidade para visitar algumas das vinícolas locais.Hoje vou falar da minha ida a Miolo.

Vinícola Miolo: começou em 1897 com a compra do lote 43 no Vale pelo imigrante Giusepe Miolo
Tudo começou em 1897 com a compra do lote 43 no Vale pelo imigrante Giusepe Miolo

A Vinícola Miolo é o berço do Miolo Wine Group. Começou em 1897 com a compra do  lote 43 no Vale pelo imigrante Giusepe Miolo. De lá pra cá, a vinícola teve um vertiginoso crescimento, sustentado pela comercialização de seus vinhos finos e espumantes.

Acompanhada do enólogo Rodinaldo Goularte, que trabalha na área de Enoturismo da empresa, fui conhecer as instalações da Miolo de pertinho. Como eu estava hospedada no Spa do Vinho,  que fica bem em frente à vinícola, fui à pé mesmo, apreciando a beleza dos vinhedos.

Hotel Spa do Vinho, localizado no coração do Vale dos Vinhedos, em frente à vinícola Miolo
Hotel Spa do Vinho, localizado no coração do Vale dos Vinhedos, em frente à vinícola Miolo
Eu e Roginaldo Goularte, da Divisão de Enoturismo da Miolo
Eu e Rodinaldo Goularte, da Divisão de Enoturismo da Miolo

Comecei a visita conhecendo o “vinhedo modelo” que fica em frente à sede da vinícola, onde estão plantadas diversos tipos de uvas viníferas que são utilizadas na produção de vinhos da Miolo, no local, há tanto vinhedos da badalada tinta Cabernet Sauvignon como da pouco conhecida branca Jaén. Ali fiquei sabendo que o grupo Miolo conta com projetos em quatro regiões: Vinícola Miolo (a que eu estava visitando no Vale dos Vinhedos-RS), Seival (Campanha Meridional/RS), vinícola Almadén (Campanha Central/RS) e Vinícola Terranova (Vale do São Francisco-PB), somando aproximadamente 1000 hectares de vinhedos próprios (isso mesmo: 1000 hectares de vinhedos próprios!!!!!!) que rendem, em média, 10 milhões de litros de vinho por ano, o que torna a Miolo Wine Group a maior exportadora de vinhos do Brasil.

Vinhedo Modelo: da conhecida Cabernet Sauvignon à pouco conhecida Jaen.
Vinhedo Modelo: da badalada Cabernet Sauvignon à pouco conhecida Jaen.

Outra informação interessante que obtive ali foi de que o jornalista esportivo Galvão Bueno é também sócio da vinícola e que todos os seus vinhos, mesmo provenientes de outros vinhedos, são vinificados na sede da Miolo no Vale dos Vinhedos.

Em seguida fomos conhecer os tanques de elaboração e as caves de espumante e envelhecimento, onde havia cerca de 1500 barricas de carvalho americanas e francesas. Nessa hora, pude entender o porquê de a Miolo ter uma das maiores caves do Brasil. O local é enorme com barricas pra todos os lados!!!!

Visitei os tanques de elaboração de vinhos...
Visitei os tanques de elaboração de vinhos…
...às caves de espumante e envelhecimento, onde havia cerca de 1500 barricas de carvalho
…e as caves de espumante e envelhecimento, onde havia cerca de 1500 barricas de carvalho

Agora o ponto alto do passeio foi ter podido degustar o vinho Lote 43 2012 dentro da cave onde a família Miolo guarda seus melhores vinhos. Muito chique!;) Pra quem não sabe, o Lote 43 é o vinho ícone da vinícola e carrega esse nome porque, como já falei lá em cima, o Lote 43 foi o primeiro lote de terra para iniciar o plantio das videiras da empresa. Na verdade, o vinho ainda hoje é produzido com uvas provenientes dos vinhedos deste lote.

Alguns dos exemplares guardado na "Cave de Família" da Miolo
Alguns dos exemplares guardados na “Cave de Família” da Vinícola
Lote 43 2012 que pude degustar dentro da Cave de Família
Lote 43 2012 que pude degustar dentro da Cave de Família da Miolo. Rodinaldo Goularte

Wine Garden da Miolo

Dando prosseguimento à visita fui conhecer o Wine Garden da Miolo que é, na verdade, um wine bar a céu aberto que visa estimular os sentidos dos visitantes através do contato com a natureza e a degustação dos vinhos da vinícola. Por ali a movimentação é intensa. O espaço  trabalha com o conceito de arquitetura efêmera, sempre se renovando e procurando novas formas de fazer o local sempre atrativo. O Wine Garden oferece  também um piquenique com serviço de alimentação e venda de vinhos e espumantes em taça.

Wine Garden da Miolo - um wine bar a céu aberto
Wine Garden  – um wine bar a céu aberto

Degustação em primeira mão do Lote 43 2018

Sala de Degustação da Miolo
Sala de Degustação da Vinícola
Degustação dos principais vinhos da Miolo com uma bela vista da vinícola
Degustação dos principais vinhos da Miolo com uma bela vista da vinícola

Por último, paramos para a degustação de alguns dos principais rótulos da vinícola: Tive a oportunidade de beber o Terranova Moscatel, que é produzido na região nordeste no Vale do São Francisco; o espumante Brut Miolo Rosé, um rosé bem refrescante e fácil de beber; o Miolo Giuseppe Cuvée Chardonnay, primeiro branco super premium criado pela Miolo; o Miolo Giuseppe Cuvée Merlot/Cabernet Sauvignon 2016, um tinto de guarda estruturado e equilibrado, e o Lote 43 2018 que ainda está maturando (ele vai ficar mais seis meses em barrica e 2 anos em garrafa antes de ser comercializado). Esse vinho estava realmente impressionante. Bastante frutado com nuances sutis de tabaco e chocolate. O tanino que eu pensei que estivesse agressivo, estava bem domado com mostras de que iria melhorar. A persistência mostrou-se excelente e o volume em boca perfeito, bem cheio. Frutas negras maduras apareceram no paladar com notas de pimenta. Agora, anotem aí: é esperar 2021 para poder comprar esse vinho!:)

Lote 43 2018 que ainda está maturando. O vinho vai ficar mais seis meses em barrica e 2 anos em garrafa antes de ser comercializado
Lote 43 2018  vinho que ainda está maturando – experimentei em primeira mão Foto: Rodinaldo Goularte

Vale lembrar que as visitas à vinícola acontecem de segunda a sábado das 9h às 16h30min e domingo e feriados das 10h30min às 15h30min e custam R$30,00 com R$10,00 revertido em compras. Todos os anos, cerca de  200 mil pessoas passam por ali, segundo me informou a equipe responsável pelo Enoturismo da Vinícola.

Projeto Winemaker

Winemaker Miolo destinado a formar enólogos amadores
Programa Winemaker destinado a formar enólogos amadores

O programa Winemaker Miolo,  que este ano completa 10 anos de existência, está destinado a formar enólogos amadores.  É o primeiro projeto brasileiro com esse intuito. A turma que tem início em agosto está com inscrições abertas. Até junho de 2019, reuniões periódicas vão reunir um grupo de enófilos que têm em comum, além da paixão pelo vinho, o desejo de elaborar o próprio rótulo. Durante o Winemaker Miolo, os participantes se envolvem em todo o processo de elaboração de um vinho, desde o vinhedo até o desenvolvimento do design do rótulo. O projeto é integralmente supervisionado por Adriano Miolo, enólogo da vinícola, e pela equipe técnica do grupo.

Informações e inscrições pelo e-mail winemaker@miolo.com.br ou pelos telefones (54) 2102-1553 e (54) 9 81141155. O contato deve ser feito com Vanessa Belatto.

Veja mais fotos clicando aqui.

Comentários

comentários

Close