.
IMG_3270
De Martino: vinhos chilenos diferentes e originais

A De Martino é uma vinícola chilena que decidiu produzir vinhos diferentes e originais e não mais ser adepta ao estilo padronizado daqueles elaborados pelas grandes indústrias chilenas. A empresa optou por deixar para trás o conceito de vinhos amadeirados (pelo uso de barricas de carvalho), alcoólicos e com final doce (devido ao excesso de amadurecimento das uvas) e resolveu apostar na produção de vinhos mais autênticos com novos métodos de vinificação e, até mesmo, na utilização de uvas pouco conhecidas no mercado. Apesar de o novo conceito representar um risco, a De Martino prefere acreditar que “nada assegura êxito frente a algo tão subjetivo como as preferências das pessoas” e se dedica a criar “vinhos autênticos”.

José Filho dos Anjos, Gerente da Decanter Brasília; Chef Derek  e sssss, na Cartolaria - local escolhido para degustação dos Vinhos da De Martino
Em Brasília a degustação da “De Martino” aconteceu no Cartolaria Café e Bistrô. Na foto: José Filho (Decanter Bsb); Serek Ertek e Thales Cipriano (Cartolaria)
O diretor de exportação da De Martino, Cristian Castro conduziu a degustação
O diretor de exportação da De Martino, Cristian Castro conduziu a degustação

A Enoteca Decanter, que importa os vinhos da De Martino para o Brasil, organizou no início deste mês um jantar harmonizado para apresentar aos enófilos de Brasília alguns vinhos da vinícola. O evento aconteceu no Cartolaria Café e Bistrô (QE 28 Conjunto P -Guará II), ocasião em que tive a oportunidade de degustar vinhos produzidos e vinificados em diferentes subregiões do Chile. Provei o De Martino Gallardía Del Itata Muscat 2012 (Itata), o De Martino Cinsault Gallardía 2013 (Itata), o De Martino Cinsault Viejas Tanijas 2012 (Itata), o De Martino Carmènere Grand Reserva Legado 2011 (Maipo), o De Martino Syrah Single Vineyard Alto los Toros 2009 (Elquí), o De Martino Família 2007 (Maipo) e finalizei com o doce De Martino Late Harvest Sémillon Legado 2004.  A degustação foi minuciosamente conduzida pelo diretor de exportação da empresa, Cristian Castro.

wine-chile

 

Os melhores para mim – O De Martino Cinsault Viejas Tinajas 2012  e o De Martino Syrah 2010 não são os “tops” da vinícola e nem os mais caros, mas foram os que mais me chamaram a atenção. O primeiro é da Região Sul do Vale de Itata, um local onde a precipitação anual pode chegar a 1000 milímetros, fazendo com que as doenças fúngicas sejam um grave problema a ser enfrentado pelos vitivinicultores da região; já o segundo vem da Região do Atacama, do Vale do Elquí, no deserto chileno, onde ao contrário do Itata, o maior desafio é a falta de água e a precipitação tem valores que rondam não mais que 80 milímetros por ano. Neste local as vinhas estão sendo plantadas a grande altitude e se beneficiam pela brisa do mar e pelo ar da montanha, caso das uvas produzidas pela De Martino no local.

Viejas Tinajas 12
Vinho que não deve deixar de ser apreciado, nem que seja apenas por curiosidade.

Cinsault Viejas Tinajas 2012 (R$101) – Destaco dois fatos interessantes neste vinho: a utilização da uva Cinsault (leia-se Sançoult – casta francesa pouco vinificada no mundo e o método de vinificação utilizado: ânforas de argila de mais de 100 anos). Resultado: vinho extremamente autêntico, frutado e com acidez marcante. Feito para ser bebido jovem. Diria que é um vinho elegante e fresco, mas por ser bem original é indicado para paladares mais exigentes e apurados. Talvez não agrade muito quem esteja iniciando o processo de degustação. No entanto, é sem dúvida, um vinho interessante e não deve deixar de ser apreciado, nem que seja apenas por curiosidade.

2009
Frutas negras, couro, chocolate e um pouco de especiarias. Além disso, é super persistente

De Martino Alto Los Toros Syrah Single Vineyard 2009 (R$131) – Tenho que tomar cuidado para não ser imparcial, pois estou numa fase de apreciar muito o Syrah chileno do deserto. Esse da De Martino é elegante, tem bom volume em boca, é equilibrado. Apresenta notas de frutas negras, couro,  chocolate e um pouco de especiarias. Além disso, é super persistente. Gostei muito e recomendo, inclusive, pelo preço, pois vinhos desta região, costumam ser mais caros.

IMG_3253 (1)
Syrah do Elquí e Zicartola – Harmonização aprovada com louvor

Apreciei-o com o delicioso Zicartola (o carro-chefe do Cartolaria que é um filé mignon ao molho de framboesa acompanhado de purê de batata barôa e risoto de alho poró). A harmonização foi sugerida pelo gerente comercial da Decanter de Brasília, José Filho Anjos e aprovada com louvor!

IMG_3215
Cartolaria – A cada dia se consolida como boa opção enogastronômica da capital

Qualidade e bom preço – Aproveito para registrar aqui no blog que o Cartolaria Café e Bistrô, mesmo um pouquinho distante fisicamente dos badalados e reconhecidos “espaços gourmet” da capital, é uma casa charmosa e supreende pelo cardápio variado, bom preço, boa música e, sobretudo, pela qualidade dos pratos elaborados pelo chef turco Seref Ertek. Administrado pelo jovem empresário Thales Cipriano, o local se consolida a cada dia como referência enogastronômica em Brasília. Vale a pena conhecer!

Confira as fotos do evento no Facebook.

Comentários

comentários

Close