.

Hoje vou narrar mais um passeio muito bacana que fiz na companhia da Maryanne do Hotel California Blog – Desta vez, para o Napa. Como já comentei aqui (relembre), a Maryanne além de blogueira faz tours exclusivos dentro de San Francisco e  pelas regiões vinícolas que circundam a cidade. O bom de tê-la por perto é que, além de obter informações preciosas sobre a Califórnia, ela é sempre “a amiga da vez” e a gente pode degustar os vinhos à vontade nos passeios sem medo de ser parada em alguma blitz.

IMG_9298-1024x683
Eu e Maryanne do Hotel California Blog – eu degustando e ela apenas fazendo pose com a taça porque é sempre “a amiga da vez”.

Como saímos depois da minha aula de inglês no ILSC em San Francisco, que nas sextas terminam às 12h30min,  paramos no OXBow Public Marketing do Napa para comer algo. O local foi sugerido pela Maryanne e eu adorei a dica.

IMG_9130
OxBow em Napa Valley é o paraíso para quem gosta de comidas saudáveis

O lugar fica cerca de 1h30min de San Francisco e está bem no centro da cidade de Napa Valley. É, na verdade, um mercado bem charmoso e super bem frequentado que vende variados produtos orgânicos originários da região. Possui também lojas de artesanato, restaurantes e, claro, vinhos!!!!

IMG_9134
OXBow é uma espécie de mercado charmoso e bem frequentado que vende produtos orgânicos da região
IMG_9140
No local também existem lojas artesanais, cafés e restaurantes

Como já eram 14h e tendo em vista que a maior parte das vinícolas encerra o atendimento entre 16h e 17h, optamos por uma comida mais rápida na OxBow Cheese e Wine Merchant, uma espécie de Wine Bar. E, como estávamos por ali mesmo (rsrsrs), eu acabei pedindo um Red Cellar Trio Flight para iniciar os trabalhos da tarde e acompanhar a deliciosa Burrata Salad que pedi para comer (US$12)

IMG_9160
Burrata Salad do OxBow Cheese e Wine Merchant: delícia de opção!

O Red Cellar trio flight custou US$14,50, trata-se de uma seleção especial em taças (30ml) de três vinhos tintos deliciosos: o Bordeaux Grand Enclos (Graves)2009, cuja garrafa custa US$36; o Vino Nobile di Montelpuciano Le Bèrme 2010, US$35 e o Pinot Noir Wrath de Santa Lúcia 2012, a US$44 a garrafa. Quer saber o melhor deles? Difícil dizer, pois todos os três têm estilos e características muito diferentes, mas estavam equilibrados, persistentes e intensos. Em suma: maravilhosos, cada qual à sua maneira.

IMG_9158
Red Cellar trio flight para iniciar os trabalhos do dia

Após conhecer o Oxbow, seguimos para Stag’s Leap Wine Cellar. Eu tinha muita curiosidade de conhecer essa vinícola, que é a produtora do Cabernet Sauvignon Cask 23, vinho californiano que desbancou os Bordeaux no Julgamento de Paris em 1976, quando na mesma oportunidade o Chardonnay do Chateau Montelena destronou os Borgonha (relembre aqui).

IMG_9272-1024x683
Pose para a foto com o Cabernet Cask 23 que desbancou os Bordeaux no Julgamento de Paris em 1976

A vinícola oferece duas opções de degustação: uma de US$25 e outra de US$40, ambas com quatro tipos de vinho. Optei pela segunda porque inclui o Cask 23. E vou confessar uma coisa: vale pagar mais caro, porque o vinho é simplesmente fantástico. Eu experimentei o 2010 e estava divino! Extremamente complexo e elegante com notas de blueberry, figo, violeta, pimenta e leves notas de defumado. Amei o vinho que tem potencial pra envelhecer mais uns 20 anos. O único problema mesmo é o preço da garrafa, que custa US$225.

IMG_9246-1024x683
Duas opções de degustação são oferecidas na vinícola. Uma a US$24 e outra a US$40 – sempre com quatro vinhos.
IMG_9244-1024x683
Stag’s Leap Wine Cellars – um vinho muito além do marketing!

Além de comprovar que não é apenas marketing que está por trás do Cask 23, percebi que  Stag’s Leap tem mesmo um terroir especial. A vinícola está localizada contra a serra de Vaca e possui um solo diferente de cor avermelhada e com subsolo vulcânico nas encostas. Ah! Uma dica: a vinícola se chama Stag’ s Leap Wine Cellars, ok? É porque na região existe a Stags Leap Winery, que também tem boa reputação, mas não é a responsável pela produção do Cask 23.

FullSizeRender (61)
Pausa para um selfie na Stag’s Leap.
IMG_9218
Stag’s Leap: vista maravilhosa e terroir privilegiado nas encostas.

Saímos da Stag’s Leap quase 17h, mas resolvemos arriscar entrar em outra vinícola muito renomada: a Chimney Rock. Por sorte chegamos a tempo de  entrar no local.

IMG_9291-1024x683
Por sorte conseguimos chegar antes das 17horas na Chimney Rock

A Chimney Rock é bastante reconhecida pelos Cabernet Sauvignon que produz, inclusive muitos deles muito bem pontuados pelas grandes revistas especializadas em vinho e reconhecidas internacionalmente como a Wine Spectator e Wine Enthusiast. Em visita ao local, descobri um fato que, sinceramente, desconhecia até então. A enóloga responsável pelos vinhos do local é a brasileira Elizabeth Viana.

IMG_9312-1024x683
Cabernet Sauvignon reconhecido mundialmente pelas revistas de renome internacional e vinhos elaborados por uma brasileira

Como a vinícola já estava quase fechando, só pude experimentar dois vinhos. Para mim, o melhor deles foi o Cabernet Sauvignon Chimney Rock Stags Leap District 2006 – vinho marcante, potente e com ótima capacidade de guarda, pois nem parecia ter quase 10 anos de idade. No início até achei um pouco alcoólico, mas depois que respirou na taça foi se mostrando complexo e estruturado. No local é vendido por US$101.

IMG_9307
Chimney Rock 2006 – Complexidade revelada aos poucos

Depois da degustação, nada com uma pausa de alguns minutos para planejar com a Maryanne do Hotel California Blog  o próximo passeio, que claro, vou relatar aqui com detalhes. Aguarde!!!!!

IMG_9322-1024x683Mais fotos desse passeio veja aqui.

 

Comentários

comentários

Close