.

Quando estive no Uruguai em 2016, tive a oportunidade de visitar diversas vinícolas,  (relembre aqui), dentre elas a Bodega Marichal, cujos vinhos são trazidos para o Brasil pela Ravin Importadora. Eu não havia degustado nenhum deles ainda e um fato que me atraiu foi descobrir, quando estive por lá, o lado inovador dos produtores da Marichal com foco em produzir cortes diferenciados, porém modernos e interessantes.

Quem me recebeu na vinícola foi a simpática e atenciosa sommelier Lorena Curbelo. Como já era tarde, não fiz a tradicional visita pelas instalações locais e nem pelos vinhedos (uma pena!), e fui direto para degustação na casa original da família, onde pude conhecer um pouco da história da vinícola. Em resumo, a Marichal nasceu em 1938 e até hoje é uma das que melhor expressam a tradição da vinicultura familiar tão característica do Uruguai, afinal a empresa é administrada hoje pela  terceira e pela quarta gerações da família.

Vinhos de corte

Dois cortes me chamaram atenção durante visita. O primeiro deles foi o Pinot Noir com Chardonnay, chamado pela vinícola “Marichal Reserve Collection Pinot Noir Blanc de Noir”  –  Esse é o corte de alguns dos grandes espumantes do mundo, mas ficou ótimo sem a segunda fermentação. A cor dele também é interessante, lembrando um rosé da Provence, embora, tecnicamente, seja de fato um vinho branco devido ao método de elaboração. Feito com 65% Pinot Noir e 35% Chardonnay o vinho é fresco, elegante e com boa estrutura. Em função do estágio em barricas, na boca se apresenta untuoso. Frutas vermelhas bem fresquinhas e frutas cítricas são evidentes no nariz.

O outro corte interessantíssimo foi o Pinot Noir com Tannat. Confesso que nem acreditei que ia ser tão bom, mas a delicadeza da Pinot com a força da Tannat na dose certa, 70% da primeira e 30% da segunda com a perpicácia do enólogo, conseguiram produzir algo único, que merece ser experimentado pelos amantes do vinho, nem que seja a título de curiosidade. O resultado foi um vinho interessante, de consumo relativamente rápido (isto é: não é vinho de guarda!), de corpo médio com notas de frutas vermelhas e notas terciárias, como tabaco, chocolate e até couro, em decorrência do estágio do vinho de Tannat em barricas. Com taninos  macios e boa acidez ficou fácil de agradar e também de harmonizar.

Vinho Varietal

Por último, como não poderia deixar de ser, falarei sobre o Tannat varietal da vinícola – Marichal Grand Reserve Tannat 2011 (acompanhado de deliciosas empanadas feitas na própria bodega!!!). Para quem não sabe, 2011 foi um excelente ano para as uvas no Uruguai e os vinhos desta safra estão maravilhosos. Este particularmente, está fabuloso. Para quem gosta de um vinho mais estruturado e robusto, vale à pena apostar. Frutas vermelhas maduras, principalmente ameixa, com os toques nítidos de tabaco e chocolate. Boa presença de boca, ótima persistência, boa acidez e taninos muito redondos. Um ótimo vinho, sem dúvidas. Bem harmônico e perfeito para acompanhar carnes vermelhas!

Visitas

A Bodega Marichal está situada em Canelones a 40 km de Montevidéu. Para visitar o local, você pode entrar em contato com a agência Senderos del Tannat, especializada em Enoturismo, ou ir de carro até o local. Eu optei pela agência, pois aproveitei para fazer passeios em outras vinícolas e não queria dirigir depois de beber.  Para maiores informações, acesse o site da Bodega  Marichal.

Mais informações sobre Enoturismo no Uruguai

Enoturismo no Uruguai: Fiz e amei. Confira as dicas!

Conhecendo as vinícolas do Uruguai: Pizzorno Family Estate

Conhecendo os variados terroirs uruguaios

Conhecendo as vinícolas do Uruguai: Casa Grande Vinos Y Bodegas

Bodega Spinoglio: vinhos, História e Enoturismo no Uruguai

Viñedo de los Vientos e os seus vinhos preciosos

Comentários

comentários

Close