.
Bodega Bouza: vinho, passeios, museu, natureza e gastronomia!

Em uma vinícola situada a apenas 15 km de Montevidéu, além das tradicionais visitas guiadas pelos vinhedos, tanques e barricas de carvalhos, ainda é possível caminhar entre animais de pequeno porte; visitar um museu com mais de 30 automóveis históricos de diferentes épocas e ter acesso a um restaurante internacionalmente reconhecido. Ah! E, ainda, claro, fazer a degustação dos fan-tás-ti-cos vinhos produzidos no local. Estou me referindo à Bodega Bouza, uma das mais reconhecidas e tradicionais do Uruguai, e, também, não por acaso, a “queridinha” dos brasileiros que visitam o Uruguai.

Bodega Bouza: uma das mais conhecidas e tradicionais do Uruguai. Fui conhecer e achei linda!

Seguindo o conselho da equipe da Senderos del Tannat, agência de turismo especializada em enoturismo de Montevidéu, decidi conhecer a vinícola e achei-a encantadora. Limpa, arrumada, organizada.

25,8 hectares dividos entre Melilla e La Violeta

A Bouza trabalha com vinhedos provenientes de 25,8 hectares, que estão divididos em dois lugares: um em Melilla, onde visitei, e outros em Las Violetas.  Em ambos são plantados: Albarino, Chardonnay, Tempranillo, Merlot e Tannat.  Ambos localizados em zonas de grande tradição vitivinícola: bem próximo ao mar, solos com boa drenagem e rico em cálcio.

Albarino, Chardonnay, Tempranillo, Merlot e Tannat são as cepas plantadas na Vinícola Bouza

O interessante do passeio foi ter a oportunidade de ver como o antigo e o moderno convivem em plena harmonia por lá. O local da produção dos vinhos por exemplo é original de 1942, mas foi todo reformulado em 2002, mantendo os conceitos originais.

Antigo e moderno em harmonia

Museu do automóvel

Mais de 40 automóveis antigos no Museu da Bouza

Depois de conhecer os vinhedos e os locais de produção, fiz um passeio pelo museu do local. Foi supreendente. Uma coleção de automóveis e motocicletas antigos, em que cada veículo foi cuidadosamente restaurado atendendo ao máximo cada detalhe para ficar perfeito e conservadíssimo. Impossível não gostar. Uma diversão tanto para adultos como para crianças, sem dúvidas!

Restaurante e degustação

Restaurante Bouza: ideal para quem quer fugir do burburinho da cidade

Além de apreciar a beleza do local e sua história, também pude conhecer o restaurante da Bouza. O lugar foi criado para quem visita a vinícola e também para aqueles que pretendem  fugir da agitação da capital com o intuito de desfrutarem um momento único, longe de barulhos e bem no meio do verde, perto da natureza mesmo.No restaurante da Bouza é possível aproveitar desde pratos regionais a pratos internacionais e há a possibilidade também de saborear vinhos únicos e exclusivos de edição limitada da vinícola.

Eu almocei no restaurante e, além de um delicioso antepasto e de uma apetitosa salada fresca, comi o Bouza Baby Beef (um centro de entrecote em redução de tannat, com batata gratinada, tomates confeitados e pimentões), que estava sem-as-ci-o-nal (veja a foto)! Ah! Lá a cozinha é contemporânea, e tem um cardápio bem interessante com entradas quentes, frias e pratos principais que podem ser massas, carnes vermelhas e frutos do mar, além de deliciosas sobremesas).

Bouza Baby Beef

Para acompanhar os pratos, fizemos uma degustação especial, organizada pela Cristina Santoro, Gerente de Exportações e Marketing da Vinícola. Degustamos um Albarino, 2016; um Merlot 2015; um Monte Vide Eu 2014 e um Bouza Parcela única 2014.

Todos excelentes vinhos produzidos pela Bouza, que, inclusive, eu já conhecia, por serem importados e muito bem divulgados no Brasil pela Enoteca Decanter. Mas, é aquela história: um Bouza é um Bouza. O Albarino como sempre estava demais e foi perfeito para acompanhar a salada. Consegue realmente mostrar que encontrou outro lugar além da Galícia ou Minho para se dar tão bem. O Merlot estava equilibradíssimo e foi uma boa surpresa. A briga maior ficou entre o Monte Vide Eu e o Tannat Parcela Única – ambos vinhos muito potentes, tânicos e encorpados, com potencial para guarda mas ao mesmo tempo redondos e perfeitos para acompanharem o baby beef que pedi. Particularmente, gostei mais do Monte Vide Eu.

Horário de Funcionamento

As visitas à Bouza aontecem de segunda a sábado às 10h30, 11h30, 13h e 16h. O custo é U$17 por pessoa. As degustações que incluem quatro tipos de vinho de linha média e alta ocorrem entre 11h e 18h e custam US$42 com a visita incluída em um dos horários informados anteriormente. O restaurante é aberto para almoço todos os dias e tem um custo aproximado de US$35 a US$70 por pessoa, também inclui as visitas guiadas. No meu caso, como falei anteriormente, fui por meio da Senderos del Tannat que organizou além da visita à Bouza, o passeio a várias outras visitas do Uruguai. Foi muito mais prático. Eles contam também com serviço de motorista, que pode ser particular ou em grupo.

 

Mais fotos da Bouza (Fotos: Guilherme Penchel/Tratamento: Claudio Cabrito)

Fotos da Bodega Bouza (Clique aqui)

Mais informações sobre Enoturismo no Uruguai

Enoturismo no Uruguai: Fiz e amei. Confira as dicas!

Conhecendo as vinícolas do Uruguai: Pizzorno Family Estate

Conhecendo os variados terroirs uruguaios

Conhecendo as vinícolas do Uruguai: Casa Grande Vinos Y Bodegas

Bodega Spinoglio: vinhos, História e Enoturismo no Uruguai

Parada Obrigatória: se estiver em Montevidéu, conheça o Francis

Comentários

comentários

Close