.
Bandeira do México

Fiz uma visita recente à Guadalajara, no México, e claro, apesar de ter degustado inúmeras tequilas (maravilhosas, por sinal), não poderia deixar de provar os vinhos mexicanos, que até então não havia degustado. Algo que percebi foi que, apesar de o câmbio por lá está favorável para os brasileiros, com inúmeros produtos a ótimos preços, o vinho não é algo tão barato assim. Nos Estados Unidos, por exemplo, é possível encontrar vinhos americanos excelentes por US$12, no México é difícil encontrar um vinho razoável produzido naquele país por menos de US$20 (mais ou menos como o Brasil). Outro detalhe interessante é que as prateleiras dos supermercados mexicanos e as cartas de vinho dos restaurantes estão invadidas por vinhos chilenos e argentinos.

Jalá 2013 da Bodega Tres Valles

Bem, dentre os vinhos que degustei na faix da de US$25,  o que mais me chamou a atenção foi o Jalá 2013, um corte de Cabernet Sauvignon e Grenache Noir. Produzido pela vinícola Tres Valles em Baixa Califórnia, o vinho apresenta frutas negras no nariz, principalmente ameixa e mirtillo. Possui boa persistência, acidez e bom volume em boca. É um vinho de entrada da vinícola com taninos bem redondinhos e mostrou-se super equilibrado. Não é um vinho excepcional, mas, sem dúvidas, é um ótimo vinho para acompanhar refeições e para se apreciar em bares.

Tempranillo da Bodega Santo Tomás, uma das mais conhecidas do México

Também experimentei um Tempranillo 2012, na mesma faixa de preço, produzido pela Bodega Santo Tomás, uma das mais conhecidas do México. No nariz, esse vinho mostrou frutas negras, com toques de ervas, o que foi confirmado na boca. Ele estagiou oito meses em barricas de carvalho francês, mas tem taninos bem redondinhos. O final é bem persistente. Apesar de ter apreciado esse vinho com comida mexicana (tacos, guacamole e tortillas), acho mesmo que ele ficaria melhor acompanhado de uma carne de cordeiro!!!!

Curiosidades

Atualmente a indústria mexicana de vinhos está formada por mais de 90 vinícolas e produtores de uva para vinho, localizados em diferentes zonas vitivinícolas – Baja Califórnia, Coahuila, Querétaro, que são os três estados mais importantes na produção de vinho. Baja California, na fronteira com San Diego (EUA), é onde são produzidos os melhores vinhos do país. No México, a cada 10 garrafas vendidas, 6,5 são de vinho tinto. O consumo no país é baixo: menos de 0,75 litros per capita, cifra muito pequena quando comparada a países como França (45 per capita), Espanha (23 litros) e Argentina (25 litros). Também fica atrás do Brasil que consome anualmente um pouco mais de 2 litros per capita. As vinícolas mais conhecidas do país são: L. A. Cetto, Bodegas Santo Tomás, Monte Xanic e Domecq.

Comentários

comentários

Close