.
reuniao_asprovinho_viviane_zanella (1)
Reunião Asprovinho para sobre Denominação de Origem para espumantes brasileiros . Foto: Viviane Zanella

Coordenar os trabalhos técnicos para estruturar a primeira Denominação de Origem exclusiva para vinhos espumantes finos do Brasil é o novo desafio da equipe liderada pelo pesquisador Jorge Tonietto, da Embrapa Uva e Vinho. Ele reuniu, no final de agosto,na sede da instituição de pesquisa em Bento Gonçalves, representantes da Associação dos Produtores de Vinho de Pinto Bandeira (Asprovinho), gestora da Indicação de Procedência (IP) de vinhos finos de Pinto Bandeira e membros do Projeto Indicação Geográfica (IG) Brasil para discutir as atividades e as próximas etapas a serem seguidas.

“As indicações geográficas vieram para conferir reputação, valor e identidade a um produto de uma origem específica. Pinto Bandeira já possui a Indicação de Procedência, sendo que a Denominação de Origem virá para coroar um trabalho coletivo de quase 15 anos para um produto nobre da Serra Gaúcha – os espumantes”, comentou Jorge Tonietto.

Para o presidente da Asprovinho, Daniel Panizzi, esse encontro foi muito importante para alinhamento. “Esse primeiro contato é fundamental para que todos tenham conhecimento das diferentes atividades que serão realizadas. A troca de ideias sempre acontece”, avaliou. Em Pinto Bandeira, são quatro as vinícolas da Asprovinho que comandam a campanha pela DO: Don Giovanni, Aurora, Valmarino e Cave Geisse.

Hoje, o Brasil possui cinco regiões vinícolas de vinhos finos com indicação geográfica (IG) reconhecida pelo INPI, sendo quatro Indicações de Procedência (IP) – Altos Montes, Monte Belo, Pinto Bandeira e Farroupilha, e uma com Denominação de Origem (DO) – Vale dos Vinhedos. Todas elas foram apoiadas tecnicamente sob a coordenação da Embrapa Uva e Vinho, que reúne profissionais da Embrapa (Clima Temperado e Uva e Vinho), Universidade de Caxias do Sul (UCS) e Universidade do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Comentários

comentários

Close